O estudo do Risco Ambiental é relativamente novo, ele surgiu entre as décadas de 1940 e 1950 nas universidades dos Estados Unidos e foi impulsionado pelo lançamento da indústria nuclear, refinarias de petróleo, indústria química e aeroespacial.

No Brasil, a preocupação com esse estudo veio à tona na década de 1980, em Cubatão – SP, quando foi desenvolvido o Plano de Controle da Poluição na cidade. Durante o início da década de 80 a cidade era mundialmente conhecida como “Vale da Morte”, sendo apontada pela ONU como o município mais poluído do mundo. O intenso volume que as indústrias trabalhavam, eliminando quantidades enormes de poluentes no ar e nos rios de forma descontrolada, começou a ter consequências catastróficas para os moradores e trabalhadores da região.

A ONU alertou o mundo sobre os problemas e consequências causados pela poluição do polo industrial, usando a cidade como exemplo a não ser seguido.

Nesse sentido, os problemas ambientais e como eles afetam a saúde humana começaram a se tornar pauta no Brasil, desde então novos estudos e iniciativas vêm sendo desenvolvidas.

Fábrica com fumaça

Descrição gerada automaticamente
 

Apesar do exemplo citado acima ser o caso de uma cidade específica, sabemos que essas situações são comuns em nosso dia a dia. Diariamente vemos lixo sendo descartado em locais inadequados, esgoto sendo destinado ao local onde os rios correm, contaminantes sendo infiltrados no solo, dentre outros.  Esse é um desafio que diversas empresas possuem, geram uma quantidade significativa de lixo, gases poluentes, produtos químicos e contaminantes que precisam ser descartados para não causar riscos e danos à saúde humana. 

Porém, como e onde fazer isso? Vamos detalhar um pouco mais sobre Riscos Ambientais, como surgem e como podem ser sanados.

 

O que são Riscos?

O termo “risco” pode ser definido como a estimativa da probabilidade de um evento ocorrer e a possível magnitude de seus efeitos, sejam eles econômicos, em relação a saúde e segurança humana, ou ainda ecológico.

 

O que é Saúde Ambiental?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), Saúde Ambiental são todos aqueles aspectos da saúde humana, incluindo a qualidade de vida, que estão determinados por fatores físicos, químicos, biológicos, sociais e psicológicos no meio ambiente. 

 

Riscos e Saúde Ambiental:

Consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos existentes nos ambientes que, em função de sua natureza, concentração ou intensidade e tempo de exposição, são capazes de causar danos à saúde.

Ao entender esses conceitos nos deparamos com Riscos Ambientais comuns em nosso dia a dia. Um exemplo é a contaminação dos solos, águas, rios e aquíferos, onde podem ter sido depositadas substâncias perigosas que causam riscos à saúde humana e ao meio ambiente.

Estas substâncias, compostos ou produtos, denominados de contaminantes, podem se propagar pelo meio subterrâneo por diferentes vias, como o próprio solo e rochas, o ar e as águas subterrâneas e superficiais.

Por isso, fique sempre atento(a) aos possíveis riscos do seu projeto e se precisar conte com o apoio de uma consultoria especializada, como a Hidroplan.

 

Identificação de riscos ambientais e à saúde humana

Seguindo na linha do exemplo citado anteriormente, aquíferos, rios e solos podem se contaminar por meio de causas diversas, o que influencia na forma que essa água será utilizada, seja ela para consumo humano, animal ou industrial, propiciando risco à saúde.

 
Contaminação, Poluição Da Água, Lago, Ambiente

De acordo com a classificação estabelecida pelo Office of Technology Assessment (OTA) do Congresso dos EUA, modificada por Fetter (1993), é possível distinguir as seguintes fontes de contaminação:

  • Fontes projetadas para recepção de substâncias: fossas sépticas, poços de injeção, aplicação no solo como fertilizantes, nitrogênio, fósforo, etc

  • Fontes projetadas para reter substâncias durante transporte: vazamento de oleodutos, gasodutos, acidentes com caminhões, trens, etc.

  • Fontes produtoras de substâncias em virtude de outra substância: irrigação, aplicação de pesticida, fertilizantes, etc.

  • Fontes projetadas para armazenar, tratar ou receber substâncias: aterros sanitários, valas abertas, resíduos de mineração, etc.

 

Como podem ser evitados e tratados 

Uma vez que essas fontes de contaminação foram identificadas, é necessário realizar um conjunto de medidas que propiciem o conhecimento sobre as características do contaminante, da geologia e hidrogeologia, e o modo como estas substâncias se propagam no meio em que se encontram.

Esses estudos e projetos são executados pelo nosso time em parceria com diversas empresas que necessitam de apoio em projetos relacionados a esse assunto, alguns deles são:

  • Diagnósticos e avaliação de contaminação em solo, água subterrânea e vapor; 

  • Planejamento e implementação de soluções de remediação - in situ e ex situ;

  • Modelagem tridimensional de fluxo e transporte de contaminantes;

  • Monitoramento da qualidade de solos, águas e vapores;

  • Avaliação de risco ecotoxicológico;

  • Investigações hidrogeológicas ;

  • Gerenciamento de materiais perigosos, demolições, conformidade ambiental e licenciamento;

  • Auditoria, gestão e gerenciamento de fornecedores e terceiros;

  • Classificação de resíduos e efluentes para disposição e destinação final;

  • Tratativas estratégicas com os órgãos ambientais e ministério público;

 

Passo a passo para aplicar soluções 

Em todo projeto é necessário que passos sejam definidos para que o objetivo final seja cumprido.

Aplicado ao nosso exemplo, esses estudos podem ser divididos em duas etapas gerais: Estudo de Risco e Gerenciamento de Risco. 

  • Estudo de Risco

Aqui na Hidroplan começamos com a identificação dos perigos ou definição de um problema. Em seguida, é necessário identificar a população que pode sofrer o risco em questão e os possíveis locais de exposição.

Feito isso, devemos caracterizar esse risco e os impactos que ele pode causar.

  • Gerenciamento de Risco

Após realizar o diagnóstico na primeira etapa, podemos seguir para a escolha das possíveis alternativas a serem aplicadas para o gerenciamento do risco em questão. Feito isso, é necessário colocar o projeto em prática e realizar monitoramentos constantes. 

Modelo Americano de Estudo de Gerenciamento de Risco:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Como podem ser evitados 

A antecipação é considerada uma abordagem ideal para a prevenção de riscos. Busque empresas especializadas que forneçam serviços relacionados a Áreas Contaminadas e Remediações, desenvolva parcerias que possam atuar com você nesses projetos e que possam acompanhar o seu negócio em cada etapa. 

Se o seu projeto vai gerar algum tipo de material de descarte, gases poluidores ou contaminantes, se antecipe e busque soluções para o seu negócio.

Ações adotadas com o objetivo de atuar de maneira consciente, conectando o respeito ao ambiente e à sociedade, são essenciais para empresas que desejam se destacar. 

 

Esteja atento(a) às necessidades da sua empresa e se antecipe aos possíveis riscos do seu projeto. Conte com a Hidroplan.

 

Referências:

A história da poluição em Cubatão e como a cidade deixou de ser o “Vale da Morte”. https://www.pensamentoverde.com.br/sustentabilidade/historia-poluicao-cubatao-cidade-deixou-vale-morte/

GESTÃO E GERENCIAMENTO DE RISCO AMBIENTAL I. Artigo publicado na Revista Banas Ambiental – Ano II – nº 12 – Junho de 2001. https://www.consultoriaambiental.com.br/pdf/pdf-22.pdf

Riscos Ambientais o que são?. https://www.unifal-mg.edu.br/riscosambientais/riscosambientais

GESTÃO E GERENCIAMENTO DE RISCO AMBIENTAL I. http://hso.com.br/TextoTecnico/textoMA2.pdf

Saúde Ambiental para Redução dos Riscos à Saúde Humana. http://www.funasa.gov.br/saude-ambiental-para-reducao-dos-riscos-a-saude-humana

Áreas contaminadas e remediação. https://www.hidroplan.com.br/blog/3151/areas-contaminadas-e-remediacao-